sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Vou te contar um segredo. Não é bem lá um segreeeedo, mas prometa não contar a mais ninguém.

Ontem eu fui dormir e acordei com asas.

Eu juro. Foi incrível!

É que eu não dormi sozinha, sabe.
Tinha uma ausência presente.
E foi mesmo um presente.

Engraçado que a gente sempre acha que nunca vai viver nada melhor do que aquilo que já foi vivido.

Nada melhor do que aqueles dias em que você acorda e continua deitado até voltar a dormir.
Nada melhor do que aquelas horas que você passa sentado lendo uma vida, ou em movimento, procurando o seu verdadeiro sou pra poder atingir o orgasmo do seu verdadeiro eu.

Eu vivi tudo isso.
Tudinho mesmo.
Pois bem!
Alguém aí escreveu em um pergaminho empoeirado e cheio de traças, que quando você dorme com asas e acorda sem elas, você percebe que na verdade nunca teve o que prometeram lhe dar.

Eu vou sussurrar pra você... A solução é sempre a mesma: um tapa, uma concha cheia de feijão e uma aspirina.


E então, eu que me via com tapa, mas sem concha de feijão e sem aspirina, fui dormir e acordei com asas.

Eu juro. Foi incrível!

É que eu não dormi sozinha, sabe.





Sabe?

8 comentários:

Mauricio disse...

sei, sei mesmo!
:}

Celo Aglio disse...

Mais que um texto. Uma alma traduzida em palavras. O impressionante é como elas fazem sentido completo e arranjam-se uma pareada da outra!

parabéns

ARCANO disse...

Estou indo dormir com a esperança de acordar com asas tb.

Mauricio disse...

eu acordei

Tiago Faller disse...

Sei, é claro que sei!

Sei também quão ótimo seria acordar com palavras tão belas assim a cada manhã.

Cada vez mais surpreso. =)

Lari disse...

ei rebeca, sou a larissa, amiga do mauricio e te add aqui no meu blog. seus textos sao tudo! beijo!

Mauricio disse...

não era pra ter excluido o ultimo
ontem eu li e não deu pra comentar
ia comentar agora :/
ueyegueh

olha a lari \o

Ana C. disse...

pqp becca! me biiilisca..