terça-feira, 22 de julho de 2008

Tempo eira nos meus olhos.

Faz lacrimejar, faz-me não enxergar.
Faz a pupila dilatar.
Faz-me perceber que o belo é o não visto...
Faz-me aprender que o tempo é ilusão.
Faz-me pensar que bicho papão é urso de pelúcia.

Falta de astúcia!

Tempo eira nos meus olhos.
Pisco, desesperada, e nada!
Pingo colírio, e rio.
Pois não basta!

Sinto a íris se desfazer.
Como se um grandalhão pisasse em meu castelo de areia.

Sem meus olhos eu enxergo a sereia.


"Ei, volte aqui com sua beleza!"

Foi-se embora...

E agora?

2 comentários:

Lucas disse...

Adorei esse amor.

Paulo Henrique Motta disse...

sem palavras...
muito bom vc começar a postar.
bjs do primo,
P